201611.13
0
0

Aprendendo liderança com Gandhi

Os filmes, assim como os livros e as experiências, têm muito a nos ensinar sobre a vida, decisões a serem tomadas e resultados obtidos. Um grande filme que todos deveriam ver é Gandhi, lançado em 1982 e vencedor de 8 das 11 categorias a que foi indicado no Oscar de 1983.

Gandhi nos ensina uma difícil virtude: a paciência. E isso vale tanto para a vida profissional quanto para o mundo corporativo. Posso adiantar que, se você for daqueles fãs de filmes acelerados, com muitas mudanças rápidas de cenas, sua paciência já é treinada durante o filme, que tem 188 minutos de duração.

Produzido e dirigido por Richard Attenborough, Gandhi é um filme relativamente lento e detalhista, que mostra o início da trajetória do líder indiano, desde quando ele ainda era um estudante de direito que foi arremessado de um trem sul-africano apenas por estar em um compartilhamento só de brancos. O filme conta toda a história de Gandhi (interpretador pelo ator Ben Kingsley), culminando no seu assassinato e funeral, em 1948.

Liderança
Ao ser expulso daquele trem quando ainda era jovem e estudante de direito, Gandhi começou um processo de avaliação de si mesmo de da Índia, que era colônia britânica e por isso sofria abusos e retaliações, tanto no nível social quanto econômico. No filme vemos como as decisões de um líder são tomadas, por meio das perguntas que eram feitas e da observação e paciência.

A não-violência, marca de Gandhi, é um dos seus grandes legados. Por meio dela, a Índia atraiu para si a atenção mundial, além de conquistar a independência e perceber a sua própria capacidade de cuidar de si e valorizar sua própria cultura e produção e, por meio dela, conseguir mudar a história do próprio país. Gandhi, embora tenha sido hindu, abraçou todas as demais religiões, se mostrando um grande exemplo de afeto, determinação, objetivo, paciência e compreensão – características inerentes a um líder.